Resenha: A Cabana - William P. Young


Mackenzie Allen Philip se culpa pela morte da filha. Afinal, foi ele quem deixou-a sozinha no acampamento onde passavam férias e possibilitou que o sequestrador a levasse para uma cabana e a matasse brutalmente ali. O corpo da menina nunca foi encontrado, tudo o que resta da pequena Missy é uma mancha seca de sangue no piso da cabana onde há evidencias do seu assassinato.

O tempo passou, e já faz três anos desde que Missy deixou este mundo. Afinal, o tempo passa, cedo ou tarde. Já o rancor de Mack para com Deus não passa jamais.

Que tipo de Deus é esse que permite que crianças morram sem nem ter vivido? Que Deus é esse que não permite nem mesmo que os pais encontrem o corpo da filha? Que Deus é esse que nunca esteve lá quando sua presença foi necessária? Mackenzie não tem a resposta e isso o corrói por dentro todos os dias.

Mas sempre há aquele momento, em que o conforto é oferecido: Deus deu Seu convite, a partir de um bilhete deixado na caixa de correio da casa de Mackenzie e sua família:

Mackenzie

Já faz um tempo. Senti sua falta.
Estarei na cabana no fim de semana que vem, se você quiser me encontrar.

Papai

Se é que foi mesmo Deus quem enviou aquele bilhete, porque o famoso bom Criador teria escolhido justo o lugar onde Missy fora assassinada para servir de ponto de encontro? Seria o Senhor tão insensível assim?



Mackenzie resolve acreditar no bilhete, enfrentar quem quer que fosse cara a cara. Ele só não esperava que, justo no lugar que guardou seu pior pesadelo, ele pudesse encontrar a aceitação e o conforto.

Nessa obra tocante e fenomenal de William P. Young, aprendemos a abrir os olhos para questões que estão sempre na nossa mente. Deus está conosco? Esteve ali quando precisamos? Se Ele é tão poderoso, porque não ameniza o nosso sofrer?

Venha até A Cabana. Deixe que Ele te mostre.

Não, não é um livro de autoajuda, nem fala de religião do ponto de vista de uma igreja em particular: não é um livro católico, ou evangélico, é simplesmente um livro.

Eu teria entendido melhor o livro se eu fosse mais filosófica (sou tão sensível à filosofia quanto um parafuso de micro-ondas). Tem tanta metáfora que chega a ser complicado de entender, mas tudo é bem explicado depois.

Dá pra entender claramente a relação de amor e ódio que Mackenzie tem com Deus, e a forma como ele se culpa pelo que aconteceu com Missy é de dar dó. Acho que o que temos que entender é que Mackenzie culpa a si mesmo, e culpa a Deus por deixar que ele se culpe (olha, quase consegui ser filosófica).

Achei a história envolvente, que conseguiu mostrar Deus de uma forma nova: personificado em três pessoas físicas, o que faz com que Ele seja mais compreensível, e, ao mesmo tempo, dá uma sensação de que Ele é mais alcançável e presente do que normalmente aprendemos. Mackenzie foi capaz de ver Deus, falar com Ele, e acho que é isso que eu mais amo no livro: ele nos faz sentir próximos de quem nos criou. As citações famosas no começo de cada capítulo são sempre memoráveis.

Kate, a filha de Mackenzie é a principal vítima da história, percebemos. Ela sim se culpa pela morte de Missy, e tudo o que acontece na cabana durante o encontro de Mack com Deus é na verdade uma espécie de curso para que Mackenzie conforte sua filha, a que mais sofre pela morte da irmãzinha.

Mackenzie esteve tão preso à sua dor que ficou cego para a dor das pessoas ao seu redor, e não percebeu que ele não era o único que sofria.

O livro todo gira em torno de uma só pergunta: Deus está aqui para mim?

Acho que não é spoiler dizer que: sim, Deus está aqui para você.

O livro mostra que Deus NÃO está só nas igrejas, Ele está em cada um de nós. Não ir à igreja não faz de você um ateu: você só é ateu quando não encontra Deus dentro de si.

Haveria menos rixas entre as religiões se todos levassem livros assim a sério!



                                         

15 comentários:

  1. Boa Tarde,Parabéns Pelo Trabalho No Blog,Gostei Dele E O Segui.
    Será Que Você Poderia Fazer Uma Visitinha Ao Meu Blog Também?
    Ficarei Agradecida.
    http://www.amoradistanciablog.com.br/
    Criei Ele A Um Tempinho E Estamos Com Uma Novidade:
    Nossa Primeira Promoção Para Aqueles Que Gostam De Chocolate,Caso Haja Interesse Fique A Vontade Para Participar:
    http://www.amoradistanciablog.com.br/2013/09/participe-da-nossa-promocao.html?spref=fb
    Obrigada Desde Ja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por seguir nosso bog, visitarei o seu sim!

      Excluir
  2. Hey querido!

    Concordo com alguns pontos, também entendi a relação conturbada dele com Deus, mas o livro em si foi meio que uma decepção pra mim. Achei filosófico demais da conta, o que fez com que alguns dos ensinamentos e lições não fossem bem compreendidos por mim e tornaram o livro maçante.

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, muitas pessoas tem essa mesma opinião com relação ao livro, e eu até concordo em alguns pontos, mas eu amo a obra no geral. É um livro original e muito bem escrito. Eu acredito que William P. Young fez um bom trabalho, apesar da "overdose" de metáforas rsrsrs
      Obrigada por deixar sua opinião, Amanda.
      Bjss!!!

      Excluir
  3. Eu comecei a ler e parei, mas vou voltar.
    Adorei o blog, seguindo!

    Beijos
    Mulher Antenadíssima ♥

    ResponderExcluir
  4. Apesar de ter muita gente que não gostou desse livro, eu amei. Igual você falou, não é um livro evangélico. Eu achei super legal o autor colocar Deus como uma mulher. Uma das minhas partes preferidas é a parte do jardim. Chorei litros nessa parte.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amei que Deus assumisse a forma de uma mulher <3 Minha parte preferida é quando Jesus o leva para dar uma voltinha sobre as águas, e a do jardim também me agradou.
      Obrigada por comentar ;)

      Excluir
  5. eu li esse livro umas 2 ou 3 vezes e adorei! =)

    http://coisasdejessicaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só li uma vez, mas o tempo todo releio meus trechos preferidos.. É mesmo muito bom!

      Excluir
  6. Sou louca para ler esse livro. Por várias vezes já tentei. Agora com essa resenha fiquei mais interessada. Espero arrumar um tempo para poder lê-lo.

    http://divulgaautor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero mesmo que você consiga ler... Vale muito a pena

      Excluir
  7. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  8. Nossa ameiii a resenha/resumo que vc fez! Vc me deixou super curiosa e afim de ler vou baixar ele agora mesmo no http://www.fantasiaebook.com/2014/05/a-cabana.html
    grátis.

    ResponderExcluir
  9. Eu, mesmo não sendo católico ou cristão (sou o tipo de pessoa pagã que acredita em todo tipo de força, seja ela boa ou ruim) fiquei apaixonado pela história do livro e muito mais do que isso, amei a forma que foram representadas as divindades. Esse é um livro que eu lerei mais vezes e que recomendo para qualquer um, não importa a religião ou crença. Adorei seu blog, já adicionei nos favoritos.

    Meu Blog: www.umcontainer.com

    ResponderExcluir